Esta é uma das principais causas da obesidade no mundo | Nutrição

Esta é uma das principais causas da obesidade no mundo

A alimentação atual é algo como um jogo ou um capítulo de a game of Thrones: você precisa ter sempre um arqui-inimigo que enfrentar na sangrenta batalha. Já passamos as telas de gorduras, glúten, o aspartame, a lactose, as dietas milagre, a carne, o leite, o açúcar… e parece que hoje estamos a do óleo de palma. Desta vez chegou mesmo ao Congresso dos Deputados, através de uma proposição não de lei por parte da ERC para instar o Governo a evitar o seu uso.

Evitemos nos deixar levar por modas alimentares ou exageros, e partamos da seguinte certeza: o óleo de palma não é tóxico… mas também não é saudável. Mas quais são as razões que o tornaram anátema nutritivo?

A alimentação atual é algo como um jogo ou um capítulo de a game of Thrones: você precisa ter sempre um arqui-inimigo que enfrentar na sangrenta batalha. Já passamos as telas de gorduras, glúten, o aspartame, a lactose, as dietas milagre, a carne, o leite, o açúcar… e parece que hoje estamos a do óleo de palma. Desta vez chegou mesmo ao Congresso dos Deputados, através de uma proposição não de lei por parte da ERC para instar o Governo a evitar o seu uso.

Evitemos nos deixar levar por modas alimentares ou exageros, e partamos da seguinte certeza: o óleo de palma não é tóxico… mas também não é saudável. Mas quais são as razões que o tornaram anátema nutritivo?

O que é o óleo de palma?

Para começar, é necessário saber o que é exatamente o óleo de palma. Trata-Se de um óleo de origem vegetal, o que a priori pode confundir mais do que um que fuja dos de origem animal. De fato, seu uso é baleado quando os fabricantes decidiram substituir as gorduras animais no início deste século. Sua produção triplicou entre 1999 e 2014, segundo um relatório da WWF. Atualmente, com base no mesmo relatório, elaborado com dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, é o óleo vegetal mais produzido do mundo, pois que representa 38% da produção mundial. A OCDE calcula que cada europeu consome por ano 59,3 kg, apesar de que é um tipo de gordura que não é cultivada no continente. É extraído da palma, que tem sua origem na África ocidental, mas a 86% da produção atual deriva da Indonésia e da Malásia.

O consumo de óleo de palma não é novo: leva usando-se um século e meio. Quem adivinhar por que? Está certo. Por dinheiro. O de palma é um dos óleos mais rentáveis do planeta (cerca de dez vezes mais do que o de soja ou de canola, por exemplo), por várias razões:

– tanto o seu fruto como sua semente pode destilar óleo;

– as enzimas do fruto aceleram a hidrólise, que produz a sua deterioração. Por isso, as plantas de coleta e de remoção estão nos mesmos lugares;

– criar milhões de postos de trabalho, a partir de comunidades locais em áreas de selva até grandes corporações no outro extremo do mundo;

– a mão-de-obra, é composta principalmente por trabalhadores de países subdesenvolvidos ou em vias de desenvolvimento;

– tem uma grande versatilidade. Ou, em termos de indústria de alimentos, possui boas características organolépticas.

Vamos fazer uma pausa neste último ponto. As propriedades químicas mais interessantes do óleo de palma para a produção industrial é que permanece sólido à temperatura ambiente, mantém as qualidades do produto por mais tempo (forma, textura e sabor) e se funde de forma muito agradável na boca, porque proporciona uma textura sedosa e facilmente perfeita para barrar.

Quais são os produtos que levam o óleo de palma?

Muitos. Muitos, de fato. Pense em um alimento processado que seja sólida, mas que se desfaz facilmente em sua boca. Se você imaginou um bombom, uma bolacha, um sorvete ou margarina, você acertou.

Para detectá-lo, basta ler o rótulo. Um bom costume que, se você não tiver, deverá adotar. Desde o ano de 2014, devido a essa lei aprovada em 2011, todos os fabricantes da União Europeia estão obrigados a especificar o tipo de gordura vegetal, que utilizam em seus produtos. Adeus ao genérico “gorduras vegetais” nas embalagens. Então faz um favor e leia algo mais que o nome e a reclamação (baixa em sal, alto em fibra, sem gordura trans, enriquecido com…). Alguns ainda se lascam o regulamento e apenas indicam ‘gordura vegetal’. Se encontrar isso, melhor não comprar. Outras vezes se recorre ao termo “palmiste” ou o nome científico da planta, em latim Elaeis guineensis. O mesmo cão com diferente colar.

Adicionar óleo de palma para um bombom, por exemplo, o torna mais resistente ao calor, já que o chocolate derrete antes. Em aperitivos salgados, como batatas fritas, é usado frequentemente porque aguenta as frituras por mais tempo do que o óleo de girassol. Se você olhar na etiqueta de suas batatas fritas, é mais do que provável que o óleo de palma figure em um preocupante segundo lugar, logo depois de batatas ou milho (a ordem dos ingredientes no rótulo responde, por lei, a sua quantidade dentro do produto).

Mas aí não fica a coisa. Massa quebrada, folhados, cremes de cacau e avelãs -que de avelãs têm pouquíssimo-, cereais de pequeno-almoço, sobremesas congeladas, doces moles, biscoitos (vendidas como saudáveis com a reclamação ‘ricas em fibra’), pizzas, sopas, bolinhos, sanjacobos, bolinhos, canelones, massa recheada pre-cooked, sopas de sobre, pipoca para micro-ondas… a lista é longa e inclui alimentos para crianças, como alguns leites de seguida. Isso foi precisamente o que levou a apresentadora Samanta Villar a perguntar pelo Twitter a Hero Baby por que o óleo de palma em seus produtos, o que provocou uma resposta totalmente fora de lugar por parte da marca. Na verdade, o motivo não é outro que o ácido palmítico -principal composto do óleo de palma-, que está presente de forma natural no leite materno. A diferença é que este é beta-palmitato, que ajuda o bebê a absorver o cálcio, o magnésio ou que faça movimentos intestinais regulares e consistentes, enquanto que o que se extrai da palma é alfa-palmitato, que age exatamente do modo contrário.

A indústria de cosméticos também é usado na preparação de cremes, sabonetes, batons ou pasta de dentes.

Por que é ruim para a saúde?

Fácil: por seu perfil lipídico, sobretudo composto por ácidos graxos saturados. É o que se conhece como epidemiologia: com potencial de obstrução das artérias. Por quê? “O perigo do óleo de palma na alimentação está relacionado com o conteúdo de três ácidos graxos: o dodecanoico, o mirístico e palmítico”, explica Maria Elvira Sánchez, nutricionista-nutricionista de Doctoralia especializada em transtornos da alimentação. “A OMS aconselha reduzir o consumo de ácido palmítico e de alimentos com um elevado teor em gorduras saturadas. Este organismo assegura que há uma evidência convincente de que o consumo de ácido palmítico aumenta o risco de doenças cardiovasculares“.

Estas gorduras de cadeia longa, são as que aumentam o colestrol ruim (lipossolúvel, ou LDL) e diminuem o colestrol bom (hidrossolúvel, ou HDL).

Mas há mais. “A EFSA publicou um relatório em maio de 2016, em que alertou para uma possível relação entre os poluentes com base em glicerol, que estão presentes em óleos vegetais como o de palma, quando processados a altas temperaturas (em torno de 200 graus), e o risco de cancro… mas são necessárias mais investigações para poder confirmar e esclarecer esse efeito carcinogênico”, lembra Silva. “Por outro lado, um estudo realizado no IRB Barcelona relaciona o consumo de ácido palmítico com o aumento da doença em ratos com tumores cancerígenos”.

Como isso prejudica o planeta?

O boom do óleo de palma também tem um efeito nocivo sobre o meio ambiente. E, portanto, indiretamente, sobre a sua saúde. Entre 1990 e 2010, as plantações industriais na Malásia e na Indonésia cresceram cerca de 10 milhões de hectares, a um ritmo médio anual de 7% a 8%. Mais de dois quintos de toda essa plantação teve lugar em florestas tropicais consumidos, de acordo com a Mesa Redonda sobre Óleo de Palma Sustentável. Esta associação criou em 2004 a pedido da WWF, uma certificação chamada RSPO para as empresas produtoras de óleo de palma sustentável. Hoje é a principal certificação mundial neste setor. No entanto, tem sido duramente criticada, sobretudo por líderes indígenas e agricultores locais. O Greenpeace também foi muito crítica com o selo RSPO e chegou a publicar o relatório, intitulado Certificando a destruição.

Existe outro selo chamado Book&Claim, também controverso, emitido por Greenpalm, o que implica que se paga a um produtor de óleo sustentável pela certificação. O problema é que esse óleo de palma pode vir de qualquer parte e a que o consumidor o percebe como amigo, quando nem sempre o é.

Como você pode identificá-los você? Procurando o primeiro selo, não o segundo.

Além do deslocamento de comunidades indígenas, as espécies animais que têm sido mais afetadas por estas monoculturas são os oraguntanes, elefantes, rinocerontes e tigres-de-Sumatra. O Greenpeace identificou as plantações de palma como a principal causa de desmatamento na Indonésia e Malásia.

Neste gráfico elaborado pela UNEP (Programa Ambiental das Nações Unidas) e a GRID-Arendal Maps and Graphics Library você pode ver desmatamento de Bornéu desde a década de 1950 e que o previsto até 2020.

Existem outros piores?

Sim. Como tudo na vida real, nem os maus são tão maus, nem os bons são tão bons.

“O óleo de oliva tem 11% de ácido palmítico”, lembra a doutora Alice Taboada, endócrina de Doctoralia e membro da Sociedade Portuguesa de Aterosclerose. E, não obstante, o azeite de oliva é o melhor substituto do óleo de palma. “Por agora, o óleo de palma não faz parte da lista de ingredientes cancerígenos da OMS, e nem a União Europeia nem os outros organismos nacionais de saúde têm proibido seu uso ou têm recomendado excluí a dieta. Podemos concluir que os dados e resultados não nos deve levar ao alarmismo, e como acontece com todos os óleos, grande parte de seus benefícios e desvantagens, depende de seu uso: virgem ou refinado, a altas temperaturas ou frio, número de frituras, quantidade, etc…”.

O óleo de coco contém mais ácidos graxos saturados que o óleo de palma, já que tem até 86%, enquanto que o óleo de palma contém até 50% dos mesmos”, lembra Maria Elvira Sánchez. Não há falta se lembrar da febre do óleo de coco que sofrem alguns, sobre tudo no mundo do fitness.

Você é o óleo de palma é sinónimo de produtos processados? Será que estamos dando-lhe mais importância do que tem? “Este óleo é sinônimo de controvérsia”, diz a doutora Taboada. “Mas os açúcares, por exemplo, já demonstraram que são prejudiciais para a saúde. São os responsáveis número um da obesidade, que como sabemos, não só aumenta o risco cardiovascular, mas também está relacionada com diferentes tipos de câncer”.

O melhor é que esteja atento, porque a indústria de alimentos muitas vezes se nutre de modas, activadas por detectores nem sempre fundamentadas. E por essa razão, a ausência de óleo de palma poderia se tornar o próximo grande negócio de pessoas que tentam vender alimentos supostamente saudáveis. Não demorarão a aparecer nas prateleiras dos supermercados eco das tags ‘sem óleo de palma’, o que poderia fazer baixar a guarda diante de outros ingredientes potencialmente prejudiciais (açúcares, aditivos, outras gorduras…). Leia as etiquetas completas e só então, analisar o produto em sua totalidade, decidir se é bom ou ruim para você.

Salada de músculo | Receitas

Salada de músculo
Proteína

Ovos cozidos
2 ovos cozidos, em rodelas

Frango assado
100 g (sem pele), corte
Pedacinhos de atum branco
1 lata (100 g, escorrido)
LegumesUm punhado de rúculaUn punhado de espinafre babyCol verde
cortada muito fina (sem talos) Potenciador saborUm punhado de cerejas secas ácidasUn jato de molho de tomate 1 colher de sopa de alcaparrasFibra1/2 pimentão vermelho, cortado
em tiras finasFrijoles negros em conserva lavados Judaicas brancas finas,
lavadas Textura30g de queijo de cabra a trozos1/2 abacate em fatias finas30g de queijo feta picado

Háztelo tu

Em um liquidificador ou em um processador de alimentos, misture esses ingredientes e bátelos até obter uma mistura homogênea:

– Um fio de azeite de oliva
– Um pouco de vinagre balsâmico
– Uma colher de chá de mostarda em grão
– Uma colher de sopa de mel
– 1/2 colher de chá de piripiri moído
– Sal e pimenta do reino a gosto (opcional)

Vantagens

Estes ingredientes, em sua justa medida, não se fornecerão as temidas calorias
mais de muitos molhos.

Uma salada por dia pode ajudá-lo a adquirir pilhas de nutrientes essenciais. Infelizmente, muitas delas não contêm suficientes proteínas e fibras, como para saciar o apetite a longo prazo e aumentar o crescimento muscular. Além disso, algumas saladas podem conter mais bombas calóricas do que um piquenique de auto-estrada. Consegue o equilíbrio perfeito em casa com essas refeições de preparação quase instantânea, todas elas com menos de 550 calorias.

Proteína

Ovos cozidos
2 ovos cozidos, em rodelas

Frango assado
100 g (sem pele), corte
Pedacinhos de atum branco
1 lata (100 g, escorrido)
Legumes1/2 escarola lavada e troceadaUn punhado de agrião, sem tallos1/2 alface cortadaPotenciador sabor10 gomos de tangerina em conserva1/2 pêssego em fatias finasAceitunas negrasFibra2 produto brécolTirabeques cortados pela mitadGarbanzos em conserva, lavadosTexturaNozes pacanas30g de queijo azul trozos30g de mussarela defumada, cortada
Proteína

Ovos cozidos
2 ovos cozidos, em rodelas

Frango assado
100 g (sem pele), corte
Pedacinhos de atum branco
1 lata (100 g, escorrido)
LegumesUm punhado de rúculaUn punhado de espinafre babyCol verde
cortada muito fina (sem talos) Potenciador saborUm punhado de cerejas secas ácidasUn jato de molho de tomate 1 colher de sopa de alcaparrasFibra1/2 pimentão vermelho, cortado
em tiras finasFrijoles negros em conserva lavados Judaicas brancas finas,
lavadas Textura30g de queijo de cabra a trozos1/2 abacate em fatias finas30g de queijo feta picado

Háztelo tu

Em um liquidificador ou em um processador de alimentos, misture esses ingredientes e bátelos até obter uma mistura homogênea:

– Um fio de azeite de oliva
– Um pouco de vinagre balsâmico
– Uma colher de chá de mostarda em grão
– Uma colher de sopa de mel
– 1/2 colher de chá de piripiri moído
– Sal e pimenta do reino a gosto (opcional)

Vantagens

Estes ingredientes, em sua justa medida, não se fornecerão as temidas calorias
mais de muitos molhos.

Proteína

Ovos cozidos
2 ovos cozidos, em rodelas

Frango assado
100 g (sem pele), corte
Pedacinhos de atum branco
1 lata (100 g, escorrido)
Legumes Um punhado de espinafre baby1/2 alface romana cortada Folhas de salada variadasPotenciador saborUm punhado de mirtilos frescos1/2 maçã vermelha em cubos Meio pimento vermelho assado em tirasFibraLentilhas em conserva, lavadas1 talo de salsão em fatias finas 3 corações de alcachofra em conservaTexturaUm punhado de nuecesUn punhado de amêndoas troceadas1/2 abacate em fatias

Pode complementá-la

Borrifada qualquer uma dessas saladas com duas colheres de sopa do simples molho de mel e mostarda.

Treine sem sair de casa | Fitness

Deixa de pagar a cota do centro de fitness e de queima de gordura, sem sair de casa.
Para entrar em forma, você não precisa sair de suas quatro paredes. Simplesmente repita esse circuito duas vezes, completando todo o programa em três dias na semana.

Flexões com cadeira

Coloque duas cadeiras a um metro de distância. Permaneça na posição de flexão de braços. As cadeiras devem ser justo para os lados do peito e o corpo em diagonal para o chão. Desça o tronco flexionando os cotovelos, sem perder a curvatura natural das costas. Estica os braços e levante o corpo até recuperar a posição inicial.

Passos na escada

Ponte junto a uma escada, a um metro do primeiro escalão. Dá uma pedalada até o segundo degrau com o pé esquerdo. Segue o movimento com o pé direito, e acaba pondo em bicos de pés. Não deixe que a parte superior do corpo exceda a vertical do quadril. Impúlsate para trás com a perna direita e recupera a posição inicial. Efetua nove repetições com cada perna.

Remo com um só braço

Fique em um banco. Pegue um haltere ou, na sua ausência preenche uma garrafa (de um mínimo de dois litros), com areia ou água e agárrala com a mão esquerda. Mantenha a coluna reta e tira do peito, passando o cotovelo junto ao corpo. Bájala até recuperar a posição inicial. Faça 14 repetições com cada lado.

Agachamento-remo na vertical

Coloca uma mala pesada frente a seus pés. Separe-os em paralelo aos quadris e flexiona os joelhos. Pegue a mala pela alça. Tira da mala para cima, mantendo a posição vertical e fazendo força com as coxas. Usa os glúteos para dar o quadril para a frente e esticar as pernas. Levanta a mala até um pouco abaixo do queixo. Pouco a pouco, volta a abaixá-la até a posição inicial. Completa 15 repetições.

Elevações laterais

Separa os pés em paralelo com os ombros e mantenha uma garrafa com dois litros de água em cada mão, para os lados do corpo. Mantenha uma leve flexão dos cotovelos, com as palmas opostas. Levanta os braços para os lados. Imagine que as garrafas estão descobriram; assim não flexionarás as bonecas para a frente. Pare o movimento quando os pesos fiquem ao nível dos ombros. Faça uma pausa e, em seguida, bájalos seguindo o mesmo percurso. Completa 15 repetições.

Curls isométricos com toalha

Separa os pés em paralelo com os ombros. Passa uma toalha debaixo do pé esquerdo e pega ambos os lados com mesma mão e palma da mão voltada para o corpo. Tira a toalha para o ombro: o bíceps se tensará sem necessidade de movimento. Mantenha a tensão 60 segundos.

Chute de tríceps

Sutiã com uma lata de tinta fechada em cada mão, agarrando-a pela alça e flexiona o corpo e o quadril de modo que o tronco se fique paralelo ao solo. Os joelhos devem estar ligeiramente flexionados e os pés planos. Flexionar os braços para trás de modo que a parte superior se fique paralelo ao solo. Leva as mãos para trás até que os braços fiquem retos. Ao final do movimento, tensione os tríceps e, em seguida, recupera a posição inicial. Executa 15 repetições.

Elevação abdominal de joelho, com rotação

Estírate boca para cima, com as mãos atrás das orelhas, com os quadris e joelhos flexionados e os pés sobre o chão. Sutiã de uma lista telefônica entre os joelhos. Flexiona os músculos abdominais e puxe os joelhos para o peito. Baixa os joelhos para a direita, até que toquem o chão e, em seguida, volte a levá-las para o centro. Recupera a posição com a qual empezabas. Muda de lado em cada repetição e segue até completar 10 por lado.

Elevação de pernas, abdominal

Estírate de barriga para cima no chão, com as mãos para os lados e as pernas estendidas. Mantendo os joelhos retos, mas não bloqueados, ergue as pernas. Faça uma pausa de um segundo, quando tiver as pernas formando um ângulo de 45 com relação ao solo. Pouco a pouco, desça as pernas até recuperar a posição inicial. Completa 12 repetições.

Extensão invertida

Estírate de bruços, com o peito (do umbigo para as clavículas), apoiada em um banco ou uma mesa e com as pernas penduradas. Agarrándote para os lados do banco, usa os glúteos e isquiotibiais para levantar os calcanhares até que fiquem em paralelo ao solo e o corpo desenhe uma linha reta. Segure a posição por dois segundos e, em seguida, recupera a posição inicial. Faça 12 repetições.

Treina no campo de futebol | Cardio

Turbina de força

Útil para…

Tênis e futebol.

Fique no ponto de cobrança de centro, em seguida, clique lunges a pé até o ponto de um livre da esquerda. Deshaz esse caminho fazendo lunges para trás. Esprinta para a frente até a linha esquerda do gol e depois volta de novo para o centro. Faça 7 séries de 4 repetições, descansando 2 min. entre as séries.

Lucro

Tanto na vida desportiva como na cotidiana, seus pés se separam durante a corrida, salto e lançamento. Os lunges para frente e para trás ajudam a fortalecer o corpo inteiro, ajudando-o a absorver melhor os golpes que recebe durante a prática. E os do bar!

Acelera sua velocidade

Útil para…

Tênis, futebol, badminton e squash.

De pé no ponto de pênalti. Esprinta até o ponto de pontapé de centro e depois volta para trás lentamente. Repita 2 vezes e quando chegar de novo ao começo, faça outro sprint até o ponto de pênalti contrário. Date a volta e volta caminhando lentamente para a posição de partida. Isso é 1 repetição. Faça 5 séries de 6 repetições com intervalos de 1 minuto entre as séries.

Lucro

Ir para trás se torna mais eficiente no sprint para a frente. Reforça seus joelhos e reduz as lesões, de acordo com o Journal of Orthopaedic & Sports.

Melhora a sua agilidade

Útil para…

Tênis, badminton, hóquei, futebol e squash.

De pé no meio da área de pênalti. Está voltada para a área contrária, avança com passos alternados para a linha de fim-de-área. Faça o movimento oposto, indo para o outro lado. Faça este exercício 3 vezes, em seguida, focaliza a linha e esprinta para cima e para baixo. Repita 3 vezes e, em seguida fique de frente para a linha de esprintar ao longo dela, de ida e volta 3 vezes. Caminha até o outro lado do campo, e repete-se aí a rotina. Isso é 1 repetição. Faça 8 séries de 3 repetições, descanso de 1 minuto entre as séries.

Lucro

Desenvolve a energia para voar em qualquer direção.

Turbina de força

Útil para…

Tênis e futebol.

Fique no ponto de cobrança de centro, em seguida, clique lunges a pé até o ponto de um livre da esquerda. Deshaz esse caminho fazendo lunges para trás. Esprinta para a frente até a linha esquerda do gol e depois volta de novo para o centro. Faça 7 séries de 4 repetições, descansando 2 min. entre as séries.

Lucro

Tanto na vida desportiva como na cotidiana, seus pés se separam durante a corrida, salto e lançamento. Os lunges para frente e para trás ajudam a fortalecer o corpo inteiro, ajudando-o a absorver melhor os golpes que recebe durante a prática. E os do bar!

Acelera sua velocidade

Útil para…

Tênis, futebol, badminton e squash.

De pé no ponto de pênalti. Esprinta até o ponto de pontapé de centro e depois volta para trás lentamente. Repita 2 vezes e quando chegar de novo ao começo, faça outro sprint até o ponto de pênalti contrário. Date a volta e volta caminhando lentamente para a posição de partida. Isso é 1 repetição. Faça 5 séries de 6 repetições com intervalos de 1 minuto entre as séries.

Lucro

Ir para trás se torna mais eficiente no sprint para a frente. Reforça seus joelhos e reduz as lesões, de acordo com o Journal of Orthopaedic & Sports.

Melhora a sua agilidade

Útil para…

Tênis, badminton, hóquei, futebol e squash.

De pé no meio da área de pênalti. Está voltada para a área contrária, avança com passos alternados para a linha de fim-de-área. Faça o movimento oposto, indo para o outro lado. Faça este exercício 3 vezes, em seguida, focaliza a linha e esprinta para cima e para baixo. Repita 3 vezes e, em seguida fique de frente para a linha de esprintar ao longo dela, de ida e volta 3 vezes. Caminha até o outro lado do campo, e repete-se aí a rotina. Isso é 1 repetição. Faça 8 séries de 3 repetições, descanso de 1 minuto entre as séries.

Lucro

Desenvolve a energia para voar em qualquer direção.

Os movimentos

1. Lunge pé

De pé, com os dedos entrecruzados por trás de sua cabeça. Dá um passo gigante para a frente, de tal modo descer o joelho de trás até ficar praticamente em contacto com o solo. Agora dá um passo à frente com a perna de trás e repita até que alcances o seu objetivo.

2. Lunge atrás

De pé, com os dedos entrecruzados por trás de sua cabeça. Dá um passo gigante para trás, de tal modo descer o joelho de trás até quase tocar o chão. Agora dá um passo para trás com a perna oposta e vá repetindo até que alcances o seu objetivo. Verifique de vez em quando que o caminho está claro.

3. Fundos

Deitado de bruços em posição de flexão para o peito. Com a coluna reta, dobre seus cotovelos para trazer o corpo para o chão. Justo antes de que seu peito toque o chão, empurra para cima para voltar à posição inicial.

O homem, que coroou uma 4.000 com dois pulmões transplantados | Esportes

A história de Flávio Irigoyen (Pamplona, 1975) é daquelas que vale a pena ser ouvida. Por excepcional. Por inspiradora. Porque encarna uma nova forma de entender o sucesso no esporte. Quando falamos de vitória, o que nos vem à mente do comum dos mortais é ganhar uma final, uma medalha de ouro, bater o rival bater mais um recorde… Mas Flávio está longe de tudo isso. Em sua maneira de conceber o triunfo não soam fanfarrias de fundo e, no entanto, ninguém negaria a grandeza de seu feito. Não precisou de ninguém mais do que ele mesmo para ser considerado um vencedor. O esporte tem servido para trazer à tona a melhor versão de si mesmo.

Como o fez? Graças à montanha. Flávio nos conta, com suas próprias palavras. “Nasci com fibrose cística, mas estou desde os 18 anos fazendo esporte com um grupo de amigos”, explica. “Saímos com as bicicletas, e nos fins de semana fazíamos caminhadas por Navarra, alpinismo, procurávamos cavernas… Um dia, fazendo um caminho em Urbasa aos 22 anos, me dei conta de que me custava muito o caminho de volta. – Me disso muito, não conseguia respirar. O que normalmente se fazia em uma hora e meia a mim me custou três horas”.

Três meses depois do transplante, Flávio decidiu calçar as botas e abordar a caminho de Urbasa onde o seu declínio havia começado alguns anos antes. E, desta vez, terminou sem problemas. Mas sua recuperação só tinha acabado de começar. “Aos nove meses de operação, me encorajei com um clássico de Navarra: A Mesa dos Três Reis, o ponto mais elevado da comunidade autónoma com 2.242 metros. Tive que retirar-se a 300 metros do topo, porque, então, tinha cinco ou seis horas de volta, mas chegar até lá foi incrível para mim”, explica.

“Então eu comecei a correr, a fazer um treino… a praticar um monte de esportes e a levar mais a sério a alimentação. Fiz o salto para as montanhas dos Pirenéus, eu me atrevia, com montanhas de 3.000 metros, e também participava em algumas palestras sobre como o esporte melhorou minha saúde. Em uma dessas apresentações, conheci um médico, que me propôs a fazer um tratamento em alta montanha dos Alpes. E concordei. Em 2007, nós fomos para o Breithorn (4.164 metros). Na primeira jornada acumulamos 1.200 metros de desnível. Aí eu sofri mal agudo de montanha, tanto que os médicos estavam a ponto de abortar o resto do time, mas eu disse que só precisava de descansar. No dia seguinte já estava tudo bem, e os outros 800 metros. E, ao terceiro dia, outros 800. Fiz cúpula e, em seguida, desci como havia feito, sem teleférico”, explica orgulhoso.